Bateu ou riscou o carro? Veja 4 dicas para escolher uma oficina de funilaria e pintura

Todos os donos de carros que precisam de pequenos reparos, como os que uma oficina de funilaria e pintura podem oferecer, precisam ter certeza que o estabelecimento vai realizar um bom serviço.

Acompanhe o conteúdo e veja quatro procedimentos fáceis de seguir para conseguir diferenciar uma oficina de funilaria e pintura boa.

Preço x Qualidade

É normal que a relação custo-benefício seja razoável, afinal, cuidados desse gênero demandam o uso de bons materiais, muita habilidade manual, tempo e prática. Por isso, não aceite fazer negócio com uma oficina dessa área apenas pelo preço baixo, pois muitas vezes o barato pode sair caro. Uma dica importante é verificar se o serviço conta com garantia.

Verifique a solda utilizada no procedimento

De acordo com técnicos da área, hoje em dia não se usar mais o oxiacetileno (chama que esquenta as chapas) para realizar o serviço de funilaria. O correto, na verdade, é usar solda a ponto por resistência ou MIG/MAG, pois o método antigo é prejudicial ao aço, fazendo-o perder a têmpera.

Para identificar a solda oxiacetileno basta ver se ela está ligada a um cilindro de gás. Caso a solda esteja conectada a uma espécie de caixa de força, então a solda utilizada é a MIG/MAG.

Laboratório de tinta

Outro ponto positivo para escolher uma boa oficina de funilaria e pintura é analisar se o local conta com laboratório próprio para desenvolver as tintas. Isso é essencial, pois a quantidade de pigmentos precisa ser exata para não deixar o seu carro com duas tonalidades diferentes.

Bancada de estiramento

É essencial que a oficina escolhida utilize a bancada de estiramento para utilizar réguas específicas para identificar a geometria do carro.

Caso o estabelecimento só trabalhe com o ciborgue, braço mecânico que estica carrocerias entortadas, não faça negócio com essa oficina.

Boa sorte ao encontrar a oficina de funilaria ideal com os benefícios que o seu automóvel precisa!